Bloco de Esquerda quer saber quando é que o serviço de radiologia em Monção regressa à normalidade. 

O Centro de Saúde de Monção, que integra a Unidade Local de Saúde do Alto Minho, é dotado de Serviço de Urgência Básica, dando resposta a uma população que ascende às 20 mil pessoas residentes no concelho de Monção.

Esta unidade de cuidados de saúde está a deparar-se com algumas dificuldades no que concerne ao serviço de radiologia. De acordo com denúncias que têm chegado ao nosso Grupo Parlamentar e noticiado na imprensa, o equipamento de raio-x está avariado há aproximadamente dois meses, causando transtorno à população local. Os utentes que necessitem de recorrer a este serviço têm de se deslocar aos serviços privados existentes no concelho ou deslocarem-se a Viana do Castelo, que fica a 80 quilómetros de distância.

Esta situação é altamente penalizadora dos utentes que se vêm impedidos de aceder aos cuidados de saúde de proximidade de que necessitam e aos quais têm direito. O Bloco de Esquerda considera fundamental que sejam tomadas medidas para reparar esta situação rapidamente.  

 

Bloco de Esquerda quer saber quando é que o serviço de radiologia em Monção regressa à normalidade. 

O Centro de Saúde de Monção, que integra a Unidade Local de Saúde do Alto Minho, é dotado de Serviço de Urgência Básica, dando resposta a uma população que ascende às 20 mil pessoas residentes no concelho de Monção.

Esta unidade de cuidados de saúde está a deparar-se com algumas dificuldades no que concerne ao serviço de radiologia. De acordo com denúncias que têm chegado ao nosso Grupo Parlamentar e noticiado na imprensa, o equipamento de raio-x está avariado há aproximadamente dois meses, causando transtorno à população local. Os utentes que necessitem de recorrer a este serviço têm de se deslocar aos serviços privados existentes no concelho ou deslocarem-se a Viana do Castelo, que fica a 80 quilómetros de distância.

Esta situação é altamente penalizadora dos utentes que se vêm impedidos de aceder aos cuidados de saúde de proximidade de que necessitam e aos quais têm direito. O Bloco de Esquerda considera fundamental que sejam tomadas medidas para reparar esta situação rapidamente.  

 

O Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda enviou um requerimento ao município de Ponte de Lima, para obter informações sobre um cidadão a viver num aqueduto, na freguesia de Vitorino das Donas, sem as mínimas condições de habitabilidade, salubridade e segurança. 

O Bloco de Esquerda quer saber se a Câmara Municipal de Ponte de Lima tem conhecimento da situação, que medidas estão a ser adotadas e se autarquia dispõe de habitações para responder a estas situações. 

O Bloco de Esquerda questionou o Ministério das Infraestruturas sobre a construção de uma rotunda em São Pedro, Monção, "reivindicada há muito tempo" para reduzir a sinistralidade em Monção. 

O Bloco de Esquerda questionou o Ministério das Infraestruturas sobre a construção de uma rotunda em São Pedro, Monção, "reivindicada há muito tempo" para reduzir a sinistralidade em Monção. 

O Projeto de Resolução que o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda fez aprovar no parlamento prevê:

Que o Governo encete todos os processos necessários de contratação de pessoal para o Centro Nacional de Pensões até serem supridas todas as necessidades para responder atempadamente aos pedidos de pensão e à sua análise;

Resposta a todas as pessoas que requeiram a pensão ao fim do prazo previsto de 90 dias, ou uma pensão provisória até ao final de período temporal;

O Projeto de Resolução que o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda fez aprovar no parlamento prevê:

Que o Governo encete todos os processos necessários de contratação de pessoal para o Centro Nacional de Pensões até serem supridas todas as necessidades para responder atempadamente aos pedidos de pensão e à sua análise;

Resposta a todas as pessoas que requeiram a pensão ao fim do prazo previsto de 90 dias, ou uma pensão provisória até ao final de período temporal;

O Projeto de Resolução do Bloco de Esquerda para a efetiva aplicação do Programa de Redução Tarifária (PART) a todo o país foi aprovado.

Assim, a Assembleia da República recomenda:

1 - Que no âmbito do Programa de Apoio à Redução Tarifária as populações que utilizam transporte público nos seus movimentos pendulares fiquem abrangidas pela redução tarifária em todo o percurso da deslocação, mesmo que atravesse mais do que uma CIM ou Área Metropolitana e independentemente do(s) meio(s) de transporte utilizado(s) ser(em) ou não gerido(s) pela CIM de origem;

2 - Que promova mecanismos obrigatórios de articulação entre CIM e Áreas Metropolitanas de modo a que o financiamento da redução tarifária fique garantido nas situações descritas no ponto anterior.